Aprendendo a dizer não e a dizer sim!

Muito se fala sobre a dificuldade em dizer não. Mas é verdade que também existe para algumas pessoas a dificuldade em aceitar, ser empático e dizer sim.

Também há os que dizem “sim” para tudo e para todos, o que significa, muitas vezes, uma angústia, pois sua comunicação acaba se tornando passiva com a maioria das pessoas com quem convive.

Além disso, dizer “sim” quando se quer dizer “não” faz poderá fazer você se sentir sobrecarregado, fazer algo que não quer, agradar aos outros e se desagradar, escolher o bem estar do outro e deixar o seu de lado, experimentar emoções negativas como raiva, frustração, stress e medo.

Todos esses sentimentos atrapalham o processo de mudança do comportamento de dizer “não”. Isso mesmo: comportamento.

Nossa fala não é uma simples decisão, mas um comportamento, muitas vezes. É preciso entender que quando dizemos “sim” e “não” a razão não se deve ao momento em si, mas a uma construção desenvolvida e vivenciada ao longo da vida. Ao tentar entender as razões das nossas falas, sejam elas quais forem, se percebe motivações articuladas e aprendidas anteriormente.

Seja a sua dificuldade a de dizer não ou um sim, seguem algumas dicas práticas:

  1. Você não precisa responder de imediato. Peça um tempo para pensar e aproveite para listar as possíveis consequências e se organize para responder;
  2. Você não precisa aceitar a totalidade do pedido. É possível reconhecer limites estruturais e outros e dizer que só poderia realizar uma parte do que está sendo requerido;
  3. Inicie a sua resposta elogiando a ideia, agradeça pela lembrança do seu nome e responda aquilo que julgar ser mais adequado;
  4. Repita, repita e repitaa sua resposta, caso exista insistência da outra pessoa;
  5. Faça recomendações sobre outras pessoas que também poderiam ajudar;
  6. Encerre o assunto;
  7. Por fim, não se sinta culpado. É muito importante barrar esse sentimento de culpa quando você precisar dizer não. Lembre-se: você tem todo direito em recusar algo que você não se sinta confortável em fazer e não tem a obrigação de dizer sim para tudo.

De qual dica você mais gostou?

Reflita sobre essas oportunidades e boas respostas.

 

Por Gildeon Mendonça, psicólogo e membro colaborador do DESAM.

Escreve sobre contemporaneidade em www.gildeonmendonca.com